DIRETORIA AJEB-CE - 2016-2018

DIRETORIA AJEB-CE - 2016-2018
DIRETORIA ELEITA POR UNANIMIDADE

ATUAL DIRETORIA DA AJEB-CE

DIRETORIA ELEITA POR UNANIMIDADE

CHAPA PAPA FRANCISCO

PRESIDENTE DE HONRA: Giselda de Medeiros Albuquerque

PRESIDENTE: Gizela Nunes da Costa

1ª VICE-PRESIDENTE: Maria Argentina Austregésilo de Andrade

2ª VICE-PRESIDENTE: Elinalva Alves de Oliveira

1ª SECRETÁRIA: Rejane Costa Barros

2ª SECRETÁRIA: Rosa Virgínia Carneiro de Castro

1ª TESOUREIRA: Rita Maria Lopes Guedes Santos

2ª TESOUREIRA: Maria do Socorro Cavalcanti

DIRETORA DE EVENTOS: Maria Nirvanda Medeiros

DIRETORA DE PUBLICAÇÃO: Giselda de Medeiros Albuquerque

CERIMONIALISTA: Francinete de Azevedo Ferreira

CONSELHO

Maria Helena do Amaral Macedo

Zenaide Braga Marçal

Maria Luisa Bomfim

Celina Côrte Pinheiro

Evan Gomes Bessa

quinta-feira, 22 de abril de 2010

AJEB: 40 ANOS - Giselda Medeiros



Mozart Soriano Aderaldo, de imperecível memória, muito bem definiu o cearense, ao afirmar que os nossos “caracteres morais, à semelhança do tipo físico, são de uma fixidez surpreendente: sobriedade e resignação, mas muito espírito de resistência, energia e tenacidade”. O mesmo pensamento é o do também acadêmico Abelardo Montenegro, ao dizer: “Terra de gritante paradoxo entre a pobreza econômica e a riqueza intelectual é o Ceará”.
Com certeza, somos um povo firme e forte, persistente e denodado e de grande riqueza intelectual. Quando nos voltamos para algo o fazemos com o melhor de nós. Damo-nos completamente a esse fazer, a essa tomada de resolução. E daí em diante, o trabalho flui, ás vezes difícil, mas prazeroso e rentável.
Corroborando o que foi dito, reportemo-nos à história da AJEB-CE. Em 1976, após seis anos de sua fundação em caráter nacional, pela escritora paranaense Hellê Vellozo Fernandes, formava-se, no Ceará, uma coordenadoria da AJEB. Nenzinha Galeno, nome de invejável projeção literária nas letras cearenses, foi sua primeira presidente estadual e a terceira nacional. Devotou-se firme e forte, persistente e denodada, à causa da AJEB e consagrou-se como importante pilar na construção desta entidade. Vencendo os obstáculos que sempre se fazem presentes no caminho da cultura, de um modo particular no da literatura, promoveu a edição da primeira antologia nacional, “O Livro da Ajebiana”, reunindo autoras de todas as coordenadorias espalhadas pelo Brasil. Após sua morte, assumiram a presidência da AJEB-CE a escritora Rizette Cabral Fernandes, Alayde Sousa Lima, Marlete Leite, sucessivamente. Por essa época, as dificuldades eram muitas e se não fora o denodo de Ione Arruda, cujo amor pela AJEB era tamanho, esta nossa entidade teria perecido. Assumi-a em 1998, ao mesmo tempo em que assumia, também, um desafio maior: o de reerguê-la. E, com o pequeno contingente de que dispunha, pusemo-nos à frente e aqui estamos, comemorando 40 anos de profícua existência. Editamos uma antologia nacional – AJEB Letras – e cinco volumes da coletânea Policromias. Realizamos quatro concursos literários, sendo o primeiro em nível nacional e já chegamos, hoje, com o número 38 do nosso informativo “O Ajebiano”.
Quero, neste instante, louvar e aplaudir, calorosamente, a gestão de Zenaide Marçal, cujo proveitoso trabalho, exercido com a tenacidade do cearense, enriqueceu consideravelmente o currículo de nossa querida AJEB. Seu nome, portanto, de agora em diante, pelos seus relevantes serviços, passa a fazer parte, honrosamente, do quadro de Sócia Benemérita da AJEB.
E, agora, neste quadragésimo ano de fundação, é Maria Luísa Bomfim que se assenta na cadeira de Presidente. Com ela, todas as nossas esperanças e certezas. Para ela, todas as nossas vibrações positivas. E com ela, a certeza de que estaremos sempre juntas, somando esforços e atitudes nessa sua caminhada de sucesso, que auguramos.
Prezados amigos, se há um marcador para o sucesso da AJEB, ao longo desses 40 anos, diremos, sem dúvida alguma, que é o AMOR. É o amor pelo aroma do feminino que a envolve e nos domina, que a torna bela e nos contagia. E esse aroma do feminino embutido em nossas sócias efetivas casa-se perfeitamente com a essência do viril presente em nossos sócios colaboradores, e passa a constituir um perfeito e indissolúvel par.
Somos felizes por isso e, por isso, vivemos em união. Parabéns à AJEB. Parabéns a todos nós.
20/4/2010

Um comentário:

  1. Obrigado, Princesa, pela publicação do meu poema "Considerações sobre os ventos". Grande e
    afetuoso abraço!

    J. Udine.

    ResponderExcluir